Skip to content

Cozinha toscana. Um convite ao pecado da gula.

A cozinha italiana é na verdade uma cozinha de regiões que precedem no tempo à própria nação italiana, regiões que até 1801 eram parte de estados independentes e muitas vezes hostis, compartilhando poucas tradições culturais, sem uma língua comum.

Só depois da Segunda Guerra Mundial o italiano passou a ser a língua comum de uma grande parte da população, e praticando estilos culinários completamente diferenciados.

A culinária italiana é riquíssima e extremamente democrática, pois agrada facilmente pelos seus sabores, aromas, visuais e texturas.

A grande magia pode estar no simples fato de saberem aproveitar da melhor maneira os ingredientes que dispõem em cada região.

Vale registrar que, de fato, há uma abundância de ingredientes de qualidade superior que isolados ou em conjuntos, fazem uma receita tornar-se memorável.

Dentre todas as regiões a Toscana ocupa um lugar de destaque. Parece que a vocação artística foi proporcionada pelos férteis campos de onde os mercados diariamente recebem olivas, frutas, legumes, cogumelos, hortaliças, cereais, flores, ervas e uma infinidade de ingredientes frescos.

Se três ingredientes puderem representar a Toscana como um todo, o pão, o azeite e o vinho cumprem bem esse papel. O último deles, por sinal, é um marco da região.


O Chianti é um vinho de corpo médio a encorpado, seco, levemente picante, bastante ácido, com aroma e sabor de cereja adocicada e com leve toque amargo, especiarias e ervas. Produzido principalmente com as uvas Sangiovese.

.
.
Nos mercados, feiras e trattorias é fácil e prazeroso extrair uma receita ou indicação de uma comida típica. Ao melhor modo italiano, o nativo parece estranhar quando desejamos saber mais sobre a sua cozinha cotidiana ao invés dos pratos mais elaborados. Tudo bem que a bistecca alla fiorentina seja um clássico, mas por quê não conhecer um lampredotto? Parece, em linhas gerais, que o cidadão comum espera que nosso tempo de turismo seja dedicado aos museus, catedrais, monumentos, lojas de grife e renomados restaurantes.
.
.
.
.

Foi num trecho de trem de Lucca para Firenze que, trocando idéias com uma toscana, conseguimos algumas dicas. No modo como ela passava algumas das dicas gastronômicas mais clássicas ficava claro para nós o orgulho em falar da tradição toscana. Tomamos nota e, na medida em que visitávamos as páginas dos cardápios íamos encontrando e, claro, degustando. Abaixo algumas das dicas garimpadas:

 






.
Pappa al pomodoro: O precursor deste prato foi chamado Panunto ou Pancotto e não tinha legumes. A receita original foi feito sem tomates, pois eles ainda não haviam “chegado” a Europa. Os ingredientes eram somente pão, azeite, alho e sal misturados. Muitas vezes utilizado para desmamar os bebês. A sopa deve ser servida quente com azeite de oliva “regado” em cima .
É um tomate rústico e um prato de pão que é meio caminho entre uma sopa e um mingau. Melhor feito com tons vermelhos (tomates bem maduros) . É o tipo de refeição que aquece a alma depois de voltar para casa do trabalho num dia frio e difícil. O segredo está na qualidade do tomate e do pão.



Ribollita – Originou-se da mistura do restante de minestrone com sopa de legumes do dia anterior, para aquecer. Sopa que leva um misto de verduras, feijão e cebola e é servida com fatias de pão com alho.



.

 

Bistecca alla Fiorentina um delicioso, grosso e macio filé que pode ser servido com azeite e limão fresco e sempre mal passado. Em geral, ele vem acompanhado de feijão branco bem temperado,o interior da bistecca deve ser macia e suculenta, enquanto os externos devem ser nítidas e parecem bem assado. A carne deve ser aproximadamente cinco centímetros de espessura, macia e de melhor qualidade.

 

Os amantes da Pasta pode experimentá-la: pappardelle (um tipo de macarrão, mas mais largo na base do macarrão com ovos), o javali (animal selvagem que ainda está nas matas da Toscana) ou a lebre. Ou aromatizadas com outros ingredientes clássicos: cogumelos porcini, ragu, alcachofra, lingüiça, etc



DOCES TOSCANOS

Sobremesas à base de amêndoas ou farinha de castanha,  são as prediletas.


Panforte – bolo compacto salpicado de canela e cravo da índia, com amêndoas moídas, casca de laranja e mel.


 

Os cantucci, biscoitos de anis cravejado com amêndoas são tradicionalmente servidos ao final de uma refeição acompanhados com um cálice de vin santo, para mergulhá-los.


Uma lista enorme poderia ser colocada aqui como sugestão, mas o melhor mesmo será você se perder pelas inúmeras opções que certamente te provocarão. Mergulhe nessa deliciosa experiência e, na saída, peça um ristretto.



Visualizar Onde comer bem em Firenze / Florença em um mapa maior


 
 
DICAS GASTRONÔMICAS DA TOSCANA
RESTAURANTES E TRATTORIAS EM FIRENZE


Enoteca Pinchiorri (O melhor e mais caro restaurante de Firenze, com 02 estrelas Michelin é uma das mais finas adegas da Europa. Os homens devem usar paletó e gravata.)
Via Ghibellina, 87R
Tel.+39 055 24.27.57 /+39 055 24.27.77
Fecha domingo, segunda, terça e quarta no almoço
Reservas obrigatórias

 

.
.
Il Cibrèo (o excelente Chef Fabio Picchi é a referência quando se fala em cozinha fiorentina)
Via Andrea del Verrocchio, 8R
Tel.+39 055.23.41.11.00
Fecha domingo e segunda
Reservas obrigatórias
Melhor lugar da cidade para conhecer as interpretações criativas de pratos tradicionais toscanos, como a trippa in salata. Deixe espaço para a sobremesa.

.
.
Cantinetta da Verrazzano (foccacia, vinho, queijos e salumeria da Falorni de Greve)
Via dei Tavolini, 18-20
Tel.+39 055.26.85.90
Aberto de 8:00 às 21:00hs (julho e agosto até às 15:00hs).
Fecha domingo e agosto.
Um adorável lugar para saborear sanduíches, focaccias recheadas de javalis,salames e queijos, ou então para um almoço mais demorado, nas mesas do fundo, acompanhado de uma taça de vinho. Você pode escolher pratos expostos numa vitrini, de dar água na boca. O lugar pertence a uma famosa vinícola de Chianti, Castello di Verrazzano (que fica em Greve in Chianti). Beba o Chianti Clássico. De sobremesa um copo de vin santo ou café com cantucci (biscoito toscano cravejado com amêndoas).

 

 

Osteria del Cinghiale Bianco (ótimo restaurante com destaque para os javalis)

Borgo San Jacopo, 43R
Tel.+39 055.21.57.06
Fecha quarta no jantar

 

.
.
 
 
Trattoria da Sergio Gozzi (clássica trattoria de cozinha toscana)
 
Piazza San Lorenzo, 8R
Tel.+39 055.28.19.41
Só abre para almoço / Fecha domingo
Ele torce o nariz para estrangeiros e abre somente para o almoço, mas a comida é absolutamente deliciosa e típica (caseira). Lá tem a grande e suculenta bistecca alla fiorentina (34 euros por quilo, o que é maravilhoso).

.
.
 
Fiaschetteria-Trattoria Mario (trattoria tombada pelo patrimônio, simples, autêntica e  imperdível)
Via Rosina, 2R
Atrás do Mercato di San Lorenzo
Tel.+39 055.21.85.50


VISITAS GOURMETS

.

 

Mercato di San Lorenzo (mercado excepcional, vários produtos típicos)
Piazza S. Lorenzo a Via dell’Ariento,
Aberto de 7:00 às 14:00 de segunda a sábado

 
 
.
.
Enoteca Alessi (loja de vinhos completíssima, azeites, destilados, balsâmico tradicional)
Via delle Oche 27R-29R-31R
Tel.+39 055.23.96.987

 
 
.
.
Bizzarri (especiarias raras, açafrão maravilhoso, manteigas trufadas, condimentos)
Via della Condotta, 32R
Tel.+39 055.21.15.80

 

 
 
.
.
Fiaschetteria “I Fratellini” (panini – sanduíches com ingredientes excepcionais, vinhos em taça, em pé na calçada)
Via dei Cimatori, 38R
Tel.+39 055-239-60.96
Fecha domingo

.
.
L’Antico Trippaio (panini de tripa, tipicamente fiorentino, melhor lampredotto – quarto estômago dos ruminantes cozido, molhos a parte, em pé na calçada)
Em frente ao escritórios da American Express na Via Dante Alighieri.
Ex – Palmino Pinzauti
Via dei Cimatori,9R
Tel.+39 055 74.25.692.

 

 
.
Perchè no! (sorveteria renomada, excelente também o semifreddo)
Via dei Tavolini, 19 R
Tel.+39 055.23.98.969

 
 
 
.
.
Vivoli (sorveteria excepcional, destaque para os sorvetes a base de chocolate)
Na frente da Chiesa di Santa Croce
Via dell’Isola delle Stinche, 7R
Tel.+39 055.29.23.34

 
 

Dicas e informações:
.

Cozinhar para um italiano é uma façanha bem difícil, pois sempre a comida da mamma será melhor que a sua.Italianos gostam de comer bem e pagam caro por isso.

Uma refeição típica inclui: primeiro prato, normalmente uma massa; segundo prato, carne ou peixe; terceiro prato, salada, ou o contorni (vegetais grelhados ou cozidos). Por fim o dolce (ai, ai…) e depois um café curto. Como nós, turistas, não temos a casa da mamma para as refeições e na maioria delas precisamos ir a restaurantes, para a conta não pesar no bolso nem na balança, selecionamos sempre um dos pratos.

O coperto, uma espécie de serviço obrigatório em qualquer restaurante italiano, será sempre cobrado, mesmo você não “aceitando”. Varia de 1 a 3 euros. Bom perguntar antes o valor, para não haver surpresas. Buon appetito.


Compartilhe este Post

Outras pessoas também podem se interessar por isto.

  • Delicious
  • Digg
  • Newsvine
  • RSS
  • StumbleUpon
  • Technorati
  • Twitter

Posts Relacionados

Você também poderá gostar disso...

Comentários

Sua opnião é importante para nós!

  1. Paparico Pop says: maio 5, 2011

    Meu Deusss!! Passei mal com esse post…

    Vcs 2 com esses corpitchos tiram de letra essa loucura gastronômica. Já eu, sairia daí rolando… mas, muito feliz!!!

    Aiai!

  2. Dani Bispo says: agosto 26, 2011

    Por isso NUNCA na vida vou ser magra. Ainda mais agora casada com um Italiano! Ai ai
    A Italia é sem duvida o país que melhor se come no mundo!!!!!

    • Bia e Euzébio says: agosto 28, 2011

      Nem me fale Dani… Fazer regime na Itália é simplesmente um PECADO. E concordo com você, a gastronomia italiana é deliciosa.
      Marido italiano quer dizer comida italiana todos os dias? Hum… E visitas a Itália também, né? Maravilha.

  3. Dani Bispo says: outubro 19, 2011

    Papa ao pomodoro o meu eleito!

  4. Dani Bispo says: outubro 19, 2011

    O marido Italiano quase nunca cozinha (a comida da mamma é melhor) mas é tão bom de boca quanto eu! hehe

Add Comentário

Preencha o formulário e envie.